Destaques

Hannes Van Dahl: Nosso bebê é saudável e me sinto abençoado!

O baterista do grupo Sabaton Hannes Van Dahl  deu recentemente uma entrevista para o blog The Age of Metal. Nesta entrevista ele fala o seu prazer em se tornar pai de seu primeiro filho com a sua parceira Floor Jansen, vocalista do Nightwish. Ele diz que a mãe e o bebê estão bem de saúde e que ele não poderia estar mais feliz. Ele se sente abençoado que tudo esteja bem e vê como este acontecimento teve um impacto positivo na sua vida e sua carreira.
Ele disse em sua entrevista: "Uma coisa que eu não esperava é como de repente algo acontece em sua vida e é mais importante do que qualquer outra coisa, o que torna o resto muito mais positivo."
Em seguida, ele acrescenta: "Provavelmente que as pessoas que tem filhos vão entender, mas de repente a bateria parece menos grave, mas eu toquei melhor e me diverti  mais, e eu adoro isso, e eu aprecio isso. de uma maneira nova. agora eu tenho me divertido mais em turnê e gosto de tocar música mais do que nunca ".
Van Dahl também está sendo substituído por alguns shows durante a turnê européia de Sabaton para passar um tempo com sua família. Daniel Sjögren da banda Twilight Force e Bloodbound foi o seu substituto para os concertos que ele estava ausente. 

Tradução: Equipe Deusas do Rock

Halestorm: Banda trabalha com produtor do Evanescence em novo álbum

A banda estadunidense Halestorm está trabalhando com Nick Raskulinecz para seu próximo álbum de estúdio. Aclamado no meio do rock, o produtor já trabalhou com bandas como Evanescence, Korn, Rush, Alice in Chains e Deftones. Ele já havia colaborado com o Halestorm no EP “ReAniMate 3.0: The CoVeRs eP”, lançado em janeiro deste ano.

Em entrevista à rádio 98.9 The Rock, no último sábado, o guitarrista Joe Hottinger comentou o processo de produção: “Nós estamos fazendo um registro de rock and roll. Temos um novo produtor que fez alguns dos nossos discos favoritos”. À mesma estação de rádio, a vocalista Lzzy Hale afirmou que “tem sido épico até agora” trabalhar com Raskulinecz.

Eles estão gravando no Dark Horse Recording, em Nashville, mesmo estúdio onde o Evanescence prepara seu próximo álbum. No último dia 22, Amy Lee publicou uma foto em seu Instagram com Nick e Lzzy. “A cereja do bolo é que duas das minhas pessoas favoritas estao trabalhando ao lado”, escreveu na rede social.

Evanescence anuncia novo projeto, "Synthesis" com orquestra e musica eletrônica!

Amy Lee publicou um vídeo em suas redes sociais revelando detalhes do material, que unirá orquestra e música eletrônica. O disco ainda incluirá músicas antigas do grupo com novos arranjos e uma pegada bem diferente da faixa original e também duas canções inéditas.

Sobre o título do trabalho, Amy explicou, "Ele é a síntese. Combinação, contraste, a sinergia entre o o orgânico e o sintético, e também o passado e o presente. Este álbum é sobre orquestra e eletrônico. Estamos pegando nossas músicas, tirando as guitarras e baterias pesadas, e substituindo-as por uma orquestra completa e um mundo cheio arranjos sintéticos de batidas e sons".

A americana ainda esclareceu que "Synthesis" não se trata de versões remixes de suas músicas antigas, mas sim uma recriação. "Estamos colocando tudo isso junto como uma grande peça de música, como uma peça clássica. De certo modo, soa como uma trilha sonora. A trilha sonora da minha vida", disse.

Para o novo álbum, a banda trabalhou com o regente David Campbell. O Evanescence juntamente com uma orquestra sairá em turnê pela América do Norte em meados de setembro enquanto "Synthesis", deve ser lançado no segundo semestre deste ano. 


Amy Lee "Me sinto em casa no Brasil"


Para uma banda que virou sucesso mundial na década passada, falar em "nostalgia" pode parecer algo fora de contexto. Ainda assim, é com esse espírito que o Evanescence desembarca no Brasil para uma série de três shows – o primeiro é nesta quinta-feira (20), em Brasília.
Em entrevista ao G1, a vocalista Amy Lee prometeu misturar o repertório antigo, "incluindo músicas que não tocamos há dez anos", com repertório novo. Em meio às novidades, sucessos como "Bring me to life", "My immortal" e "Going under" estão garantidos no setlist.
"Acabamos de fazer uma turnê curta nos Estados Unidos, e eu me senti revigorada. Eu não queria usar o termo 'surpresa', mas é isso, positivamente surpresa. Quando você vai a um show, quer ver energia, gente pulando, e a resposta do artista", afirma.
"Eu me sinto muito em casa com os nossos fãs, e é incrível que haja tantos no Brasil", declara a vocalista da banda.
O último CD de inéditas do Evanescence foi lançado em 2011, e o single lançado há dois meses, "Speak to me", é assinado apenas por Amy. Entre uma coisa e outra, a banda veio ao Rock in Rio, trocou de guitarrista, entrou em hiato, largou a gravadora e voltou aos palcos. Em meio a tudo isso, a líder do grupo diz que a fidelidade do público brasileiro se manteve inalterada.
"Sempre ficamos ansiosos quando o assunto é [voltar ao] Brasil. As pessoas nos tratam muito bem, com muita energia. São os mais barulhentos, os mais malucos, os melhores fãs, até nas redes sociais. Fico muito agradecida pelo apoio e pela admiração, é incrível. Eu não sou daí, não sei, é um tipo diferente de conexão."
O show desta quinta em Brasília marca a estreia da nova turnê mundial, que ainda passa pelo Rio no sábado (22) e por São Paulo no domingo (23), antes de seguir pela América do Sul e pela Europa. Será a primeira "volta ao mundo" de Amy após o nascimento do filho Jack, em 2014. Ao G1, a vocalista falou sobre a experiência de revisitar o repertório e a rotina de rockstar.
"É tudo incrível. Eu ganhei uma nova perspectiva sobre a vida, e sobre o Evanescence. Antes de ter um filho, a banda era minha identificação, tudo era uma emergência, era a maior parte do meu dia. Agora, há tanto na minha vida além do Evanescence. É diferente colocar essa 'roupa' de artista", diz Amy.
A mudança de perspectiva também deve afetar os planos da banda. A cantora diz que a produção de um novo disco com músicas inéditas está no horizonte de possibilidades, mas evita se comprometer com prazos. Durante o hiato do Evanescence, Amy Lee lançou um CD infantil e uma série de covers no YouTube.
"Eu não sei o que aconteceu comigo, mas estou aprendendo a ser multitarefa. Foi revigorante dar um passo para trás e olhar 'o todo'. Dias atrás, me peguei cozinhando, com meu filho no colo, pensando na turnê e resolvendo coisas. Não é algo da minha natureza", brinca.
Nos três álbuns desse tipo lançados pelo Evanescence, Amy Lee aparece como compositora em todas as músicas. Segundo ela, já há material guardado para, pelo menos, dois CDs. Questionada pelo G1 sobre a pressão por novos hits, a cantora se disse "tranquila" e pediu paciência à legião de fãs brasileiros.
"A maior pressão, hoje, vem de mim mesma. Se noto que não estou sendo produtiva, fico deprimida. Mas a produção pode ser em música, em pintura, qualquer coisa. Essa pressão interna é mais forte que a gravadora, a mídia, os fãs. Hoje, eu consigo sentir o apoio dos fãs como um apoio, mesmo, e não como pressão."
Evanescence no Brasil
Brasília
Data: 20 de abril (quinta-feira)
Horário: 22h (portões abrem às 20h)
Local: NET Live Brasília (SHTN, Trecho 2, Conjunto 5, Lote A - Asa Norte, Brasília – DF).
Rio de Janeiro
Data: 22 de abril (sábado)
Horário: 19h
Local: Vivo Rio (Av. Infante Dom Henrique, 85 - Flamengo)
São Paulo
Data: 23 de abril (domingo)
Horário: 20h30
Local: Espaço das Américas (R. Tagipuru, 795)

Fonte

[Especial Tattoo & Rock N Roll] Entrevista Exclusiva com o Tatuador Thiago Ribeiro


Quando o assunto envolve tatuagem, automaticamente pensamos na cultura Rock N Roll como um dos seus aspectos, já que a popularização do "pintar a pele" se deve muito a artistas das ramificações do metal. A tatuagem também é muito usada para marcar eternamente aquilo que não queremos apagar, fazendo dessa uma recordação em carne. 
Pessoalmente, a tatuagem é uma forma de me manter forte, onde eu posso buscar refúgio, serenidade e enfim, paz. De 10 tatuagens que possuo, 8 delas foram feitas com esse excelente e talentosíssimo tatuador, que eu conheci há uns 5 anos e me apaixonei imensamente pelo seu trabalho.
Bati um papo bem interessante com o tatuador Thiago Ribeiro, que tem seu estúdio profissional em Barbacena-MG e ele contou um pouquinho de como começou sua carreira no ramo das peles pintadas e ainda deixou um big conselho pra quem está iniciando nessa profissão, confira:


Como foi sua primeira experiência com a tatuagem e de que maneira isso influenciou para que você se tornasse o tatuador que é hoje?
Sempre gostei, quando novo via alguém tatuado na música ou em filmes eu “queria ser aquele cara” kk. Foi quando passei a ouvir metal que tive contato de verdade, por volta do ano de 2000 procurei o Júlio, tatuador antigo daqui, que ainda tatuava na casa dele, para fazer uma; mas não fiz. Cerca de 2 anos depois fizemos amizade, ele tinha uma banda e me chamou pra tocar com eles, aí comecei a montar meu kit e tatuar. Comprei algo dele e outras coisas pedi pelo telefone, dos contatos que me passou.
 
Qual foi a primeira tatuagem que você fez em alguém?
Foi um símbolo da banda Engenheiros do Hawaii na perna de um amigo que estudava comigo na época. Fiz na casa da mãe do Paulinho, tatuador daqui, com ele me dando uma força.
 
Há algum estilo específico que costuma ser mais procurado pelos clientes? Entre os estilos que você faz, há algum que considere mais difícil ou mais trabalhoso?
Assim como artistas não são bons em tudo, um tem mais facilidade com música, outro com pintura por exemplo, é assim na tatuagem, ao meu ver; vai ter uma linha de trabalho em que você vai se sobressair. Eu me descobri no preto e cinza, estava estudando muito realismo colorido e de repente em um evento ganhei com uma tatuagem preto e cinza que tive muita facilidade em fazer, então passei a dedicar a esse estilo, é o que mais estudo e divulgo no momento. Mas tenho planos de me dedicar a outros estilos em breve, não quero cair na mesmice, cada um tem sua linha onde se destaca, porém tudo em que se dedica de verdade não vai passar despercebido.
 


Quais suas principais fontes de inspiração? Quais os seus tatuadores favoritos? E artistas em geral?
Gosto muita de pintura e desenho também, mas as inspirações para tattoo vem na maior parte de outros tatuadores. Mumia, Bob Tyrrel, Oscar Akermo, Giulia Bongiovanni, Jezz Cardoso, Ganso Galvão, Chico Morbene, Marcelo Smash, Daniel Baczewski, Silvano Fiato, Chris Primm, Charles Laveso, Fábio Rangel...  



Nenhum texto alternativo automático disponível.

Você vivenciou alguma experiência maluca como tatuador?
Maluca acho que não, não que me lembre.

Sabemos que preço baixo e qualidade não são sinônimos. Ainda assim, você mantem um preço bem acessível pela qualidade extrema do trabalho que desempenha. Como você “põe preço” no seu trabalho? Varia por cor/local/técnica?
Sim, ouço muito dizer que o preço, prefiro dizer valor, que o valor que cobro é bem acessível. Eu estudo muito, mas não adianta estar em Barbacena e querer cobrar como se estivesse em uma capital, acho que nesse caso sou eu que deveria me mudar de cidade, tenho que entender a realidade do local. Trabalhos pequenos cobro um valor que acho justo ali, trabalhos grandes é calculado por horas gastas pra fazer, aí dou um preço final e pode ser feito em sessões.
 
Existem partes do corpo onde não se é possível tatuar ou a tinta abrange tudo?
Possível todo lugar é, porém regiões em que sofrem muito atrito vai ocorrer dificuldade na cicatrização e depois a tatuagem  vai saindo, se perdendo muito rápido; em locais como dedos, palma da mão, cotovelo e pés. 

Possuo 10 (das quais 8 foram feitas com o Thiago - e sempre quero aumentar), qual a parte do corpo onde as pessoas mais reclamam?
Acredito que a dor nunca deveria ser um motivo para não se tatuar, e não é papo de tatuador kk realmente não dói tanto a ponto de uma pessoa não conseguir fazer. Odeio quando sai um vídeo de uma pessoa histérica berrando pra fazer uma tattoo, aquilo é nervosismo e não dor, e também muita falta de profissionalismo do “tatuador” de fazer o procedimento com a pessoa nesse estado e ainda filmar. Lugares onde temos dobras, como atrás do joelho, dentro dos cotovelos, entre o peito e braço são mais doloridas e também partes muito “ossudas”, como costela, pé e canela. 



Uma das 8 tattoos feitas pelo Thiago ( na verdade, todas desse braço foi ele quem fez)


Uma publicação compartilhada por Sara Sthefany 🌸 (@saraschirmbeck) em



Quanto aos cuidados pessoais: há alguma restrição alimentar? Quais os principais cuidados com a pele?
Ainda vejo muito mito quanto a isso, não é um bicho de 7 cabeças, mas é preciso cuidado claro. Não é preciso evitar nada, porém não mudar drasticamente sua dieta do dia a dia, principalmente não aumentar o consumo de comidas gordurosas, sempre peço cuidado com o exagero de carne de porco. Nos próximos 15 dias o sol, praia, cachoeira ou piscina são totalmente contra indicados, de forma alguma de jeito nenhum, isso vai destruir a tatuagem. A tatuagem irá perder muito de sua “vida” se for exposta ao sol e ela não pode ficar mergulhada na água por várias horas.



Você possui quantas tatuagens? E há alguma feita por você?
Tenho 12 se não me engano, já começaram a se juntar, então não sei bem... quando comecei a tatuar arrisquei a tentar umas em mim, mas nenhuma terminei, tem gente que consegue, mas 
achei péssimo fazer. 

Aqui em Barbacena (Minas Gerais), o nome Thiago Ribeiro é algo que vem se expandindo absurdamente. Como você vê a profissão “tatuador” hoje em dia?
Tenho feito minha parte, eu amo o que faço e sempre quero melhorar, o retorno financeiro e nome é uma consequência. Acho que as coisas começam a dar errado quando essa ordem é invertida, quando a pessoa quer ganhar e estuda por obrigação. Eu sempre vou me preocupar mais com estudo, conteúdo, qualidade do que com uma identidade visual de estúdio foda, e acho que é o caminho certo.


Essa é uma pergunta que a maioria das pessoas fazem: tatuagem interfere no caráter? Qual seu ponto de vista profissional sobre isso?
De forma alguma. No Brasil ainda existe esse preconceito porque a tatuagem chegou aqui em portos, onde justamente pessoas fugidas ou escondidas da sociedade viviam. Hoje não faz o menor sentido. 



Há algum desenho/frase que já se recusou a fazer ou irá por ferir crença pessoal (não especificamente religiosa, generalizando)?
Acredito que o cliente te procura para que seja feito um trabalho de qualidade, independente se você acredita ou não. Estamos em um país muito religioso e a procura por tatuagens nesse tema é grande, eu faço sempre meu melhor independente de não acreditar. Acho que a recusa viria se fosse o contrário, um tatuador cristão não faria um demônio... essas atitudes excludentes são costume de pessoas religiosas. Quero que o cliente saia daqui satisfeito.



Sobre o cenário Rock/Metal e suas ramificações, na sua opinião, o que precisa evoluir e o que precisa dar uma parada?"Uma parte do público não se aventura fora do Rock, acha que só aquilo existe. Não vivo nesse mundo. Engrandece o espírito - Robert Plant". No Rock/Metal eu diria que em primeiro lugar as pessoas precisam parar de ouvir nomes e ouvir o som, não interessa se o Metallica era foda nos anos 80, há duas décadas não fazem nada que presta, mudou tanto que é inaudível; não interessa se Iron foi um dos grandes nomes, eu ouço e parece que os caras estão lançando o mesmo álbum a vida toda. Eu sinto falta de criatividade no metal novo, “essa banda se parece com aquela e aquela outra...” todas bandas que marcaram chegaram e nos apresentaram algo novo e por isso se sobressaíram, é preciso ser inovador sem se perder e sem se vender pra mídia. Quanto ao Rock nacional depois dos anos 90 não existe mais nada que me interesse.


Quais suas bandas favoritas (incluindo vocais femininos)?
Pantera, Led Zeppelin, Moonspell, Megadeth e Lamb of God. São as preferidas, mas cada época pego uma banda que sempre tive interesse pra ouvir a fundo, quando foi lançado, quem gravou... Fim do ano passado eu estava ouvindo muito Thin Lizzy, ultimamente o metal progressivo tem sido minha paixão, principalmente Tiamat e Opeth. De vocal feminino não acompanho muitas, como vocalista admiro a Cristina Scabbia e Anneke Van Giersbergen... mas acho que mereciam bandas mais expressivas.


Esse é um espaço onde você deixa sua mensagem para quem quer entrar na profissão, quanto para quem quer fazer sua tatuagem pela primeira vez e também seu espaço para expressar tudo que não foi abordado na entrevista: 
Novos tatuadores, respeito ao cliente em primeiro lugar, lembre-se sempre que a pessoa vai levar sua arte para o resto da vida. Aos clientes, defina em primeiro lugar um estilo e depois encontre o artista que vai executar melhor aquilo que você deseja, fazemos de tudo no dia a dia mas cada um tem uma especialidade, um estilo em que se sobressai.


Quer conhecer mais sobre o trabalho do Thiago Ribeiro? Acesse sua página oficial e sua conta no instagram e agende seu horário.
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Tarja Turunen: 10 álbuns que mudaram minha vida!

Tarja Turunen tem misturado seu amor da música clássica com o metal pesado por duas décadas. Depois de sair da banda  finlandesa em 2005, ela lançou seis álbuns solo e ainda é uma força formidável no metal sinfônico. Mas de onde veio seu amor por todas as coisas pesadas e clássicas? Nós conversamos com a cantora para saber de onde vem seu gosto musical.

Meus álbuns favoritos são ...

The Beatles – The Beatles (Apple, 1968)



Queen – A Night At The Opera (EMI, 1975)



Scorpions – Love At First Sting (EMI, 1984)



Lady Gaga – Joanne (Interscope, 2016)



O primeiro álbum que eu comprei foi ...

V/A – Classical music compilation



Eu quero ser lembrada pelo álbum...
Tarja – The Shadow Self (earMUSIC, 2016)



Whitney Houston – Whitney (Arista, 1987)



Burnclear – Lost For Life (unsigned, 2016)



Disturbed – Indestructible (Reprise, 2008)



Metallica – Metallica (Elektra, 1991)



Fonte:teamrock.com
Tradução: Deusas do Rock

Amy Lee: ''Sinto que o Brasil é o número 1.Nós amamos os nossos fãs brasileiros''

O Brasil tem paixão pelo Evanescence. Em quase nenhum país do mundo, a banda mexe tanto com os fãs como por aqui. Talvez por ter embalado a adolescência sombria e gótica de muita gente nos anos 2000, o sucesso ainda seja tanto. A recíproca, garante a vocalista Amy Lee, é verdadeira. “Eu acho que grande parte dos nossos fãs são brasileiros, e sinto que o Brasil é o número 1”, disse a cantora em entrevista ao Correio.
Depois de ter um filho e gravar até um álbum infantil (Dream to much), Amy Lee e a banda voltam agora aos palcos com uma nova turnê (que chega a Brasília no dia 20).  “Eu estou muito empolgada, especialmente porque eu não estava muito na estrada, eu estava em casa e muito do meu processo criativo é estar em turnê e em performance”, explica Amy.

Ao contrário do que a roupa preta e o visual gótico do início da carreira poderiam sugerir, a cantora exalou simpatia ao falar ao Correio sobre as mudanças, a banda e a nova rotina.

Evanescence
NET Live. 20 de abril (quinta-feira), às 22h. Ingressos a R$ 280 reais (camarote); R$ 190 (pista premium); R$ 90 (pista). Valores referentes a meia-entrada. Classificação indicativa: não recomendado para menores de 16 anos.

» Entrevista // Amy Lee

O Brasil tem uma paixão por você e pelo Evanescence. Vocês continuam com muitos fãs por aqui. A sua relação com o país e com os brasileiros é mesmo próxima?
Eu não sei nem por onde começar... Eu acho que grande parte dos nossos fãs são brasileiros e sinto que o Brasil é o número 1. Quando eu entro na internet, no Twitter, Facebook, Instagram, pelo menos metade das coisas que eu leio está em português. Nós amamos os nossos fãs brasileiros. É sempre empolgante ter uma turnê na América do Sul, porque nossos fãs são apaixonados, e é sempre uma ocasião especial, porque nós não vamos sempre. Então, quando vamos, é uma grande festa.

Você mudou muito. Gravou um disco infantil, se dedicou a outros projetos. Essas mudanças foram positivas para você?
É muito inspirador para mim ser capaz de fazer muitas coisas diferentes, nos dois últimos anos, especialmente. Eu tive meu filho em 2014 e, na verdade, eu fiz muitas músicas enquanto estava grávida. Lancei um álbum de trilha sonora que não decolou totalmente, mas é muito bom ser capaz de mostrar diferentes lados do que eu posso fazer. Eu acabei de gravar uma música para a trilha sonora de um filme que será lançado logo.  Se chama Voices from the stone, é um filme lindo, amo a música e eu mal posso esperar para sair, porque foi muito divertido.

E o Evanescence? Você tem feito coisas novas para a banda?
Eu gravei o álbum infantil no ano passado, como você disse, e foi muito legal trabalhar em família e agora vou lançar músicas solo e também fazer mais shows com o Evanescence. Na verdade, estou começando a ficar criativa com o Evanescence também, eu não sei o que está acontecendo ainda, mas acho que lançarei mais trabalhos. Eu estou me sentindo muito inspirada. Agora, estou trabalhando em diferentes projetos ao mesmo tempo, e é ótimo poder fazer isso.

Quando você escuta os trabalhos antigos, como o Origin, percebe que as mudanças foram uma evolução?
Bom, eu tive que voltar e ouvir tudo começando pelo Origin, recentemente. Na verdade, é muito legal ser capaz de voltar no tempo e ver tudo que eu já fiz naquele período e me sinto muito orgulhosa. Eu, definitivamente, consigo ver minha evolução, como você disse, do começo até o fim e fico muito orgulhosa de estar onde eu estou agora. Quando escuto o Origin, eu penso: “Cara, isso era muito bom”. Mas, na verdade, é mais como: “Uau, eu só estava começando a aprender a fazer música, mas tem alguma coisa bonita nisso também”. Então, sim, eu consigo ver essa evolução e estou orgulhosa dela e ansiosa para o que vem depois.

Você passou um tempo sem fazer shows, longe do palco e da estrada. Como é essa volta? 
Na verdade, é bom, muito bom. Eu estou muito empolgada, especialmente porque eu não estava muito na estrada, eu ficava em casa, e muito do meu processo criativo é estar em turnê e em performance. Então, quando nós planejamos uma turnê, não planejamos uma turnê muito longa, porque, como você sabe, preciso ser uma mãe agora e eu realmente gosto de compor nesse intervalo. Quando nós começamos, nós vivíamos na estrada por mais de um ano. Isso é divertido, mas eventualmente fica difícil, fica tedioso e frustrante porque você faz a mesma coisa de novo e de novo. É ótimo que agora nós somos capazes de não ficar em turnê por tanto tempo, mas eu amo estar em turnê.

Fonte:correiobraziliense.com.br

Amy Lee: "Tenho coisas esperando 10 anos para sair!"


Confira os scans da matéria/entrevista que a revista brasileira especializada em metal Roadie Crew em sua edição #218 fez com Amy Lee:

EVANESCENCE: NA ESTRADA E PREPARANDO NOVO ÁLBUM

Não é segredo que a banda ameri­cana Evanescence explodiu para o mundo logo no seu primeiro disco, Fallen (2003), fazendo um rock radiofônico que agregava peso e melodia de forma bem particular. Além do carisma da vocalista Amy Lee, o grupo se valeu de hits e do apoio de uma base de fãs muito apegada ao som e à imagem. Prestes a passar pelo Brasil novamente, a vocalista falou com a ROADIE CERW sobre a sua vinda ao país, as experiências pessoais na música e dá pistas sobre o tão aguardado quarto disco de estúdio...

 

Você pode ler a matéria clicando nas imagens!





Arquivo: coleção pessoal Sara Sthefany (DeusasDoRockTeam)

Evanescence: Entrevista completa para a Aol Build Series


Confira abaixo a entrevista na íntegra com Amy Lee, ela fala sobre seus projetos como Speak To Me e Love Exists, o novo álbum da banda e ainda a turnê do Evanescence na America do Sul (em breve legendado):
Amy Lee, da banda "Evanescence", tem um novo single intitulado "Speak To Me". A canção é destaque no filme "Voice From The Stone", em que Emilia Clarke e Marton Csokas estrelam. Ela trabalhou em estreita colaboração com o diretor do filme, Eric Howell, e o compositor Michael Wandmacher quando ela desenvolveu a canção e gravou o vídeo, que são um grande paralelo e história de fundo para o filme. Veja Amy Lee discutindo as razões que a inspiraram a trabalhar neste projeto, sua visão para a canção e sua experiência trabalhando com os cineastas.


Amy Lee: "Não é apenas um novo álbum tradicional, é algo um pouco mais elaborado"


Confira abaixo a tradução da entrevista que Amy Lee concedeu ao Daily News New York: 

Amy Lee está pronta para ser acordada por dentro - novamente.
A poderosa vocalista da banda Evanescence, que ganhou popularidade no início dos anos 2000 - está de volta quase 15 anos depois que a banda lançou sua canção "Bring Me to Life". Lee, agora com 35 anos, estreou recentemente a faixa "Speak to Me" para o filme "Voice from the Stone", estrelado por Emilia Clarke e Marton Csokas, que será lançado em 28 de abril de 2017.
"Eu assiti ao filme e imediatamente me apaixonei por ele, eu era uma nova mãe na época e muito do filme é sobre um vínculo extremo entre uma mãe e um filho que é mais forte do que a morte, é maior do que você, e isso não pode mantê-los separados ", Lee disse ao Daily News.
Ela rapidamente apareceu com a música e a mesma foi gravada completamente em apenas duas semanas.
"Esta realmente voou para fora imediatamente", disse ela ao The News.
Infelizmente, ela não conseguiu conhecer Clarke, apesar de ser uma grande fã de "Game of Thrones".
"Quem não ama 'Game of Thrones'?" Ela disse: "Ela é uma poderosa má", ela continuou, descrevendo o personagem de Clarke, Daenerys Targaryen, na série HBO.
Amy é casada e é mãe de Jack Lion, de 3 anos de idade, pode ter estado fora do centro das atenções nos últimos anos, mas ela não está em um hiato. Ela tem trabalhado nos bastidores. Lee trabalhou em duas partituras, uma para o filme "War Story", em 2014 e outra para o filme "Blind", estrelado por Alec Baldwin e Demi Moore, que será lançado ainda este ano.
A cantora também usou sua experiência como uma nova mãe para lançar um álbum infantil no ano passado com sua família.
"Ele é a principal inspiração da coisa toda", ela explicou de seu filho Jack.
E ela não para por aí. No mês passado, ela também revelou que o Evanescence estava tentando fazer um terceiro retorno ao lançar o single "Even in Death" e também compartilhou outro single solo "Love Exists" em fevereiro.
"Estivemos fazendo shows novamente desde 2015 e temos uma incrível nova guitarrista (Jen) na banda e é a primeira vez que nós temos outra mulher na banda ..." ela disse. "Estamos em um novo lugar positivo onde sentimos que tudo é possível e essa é realmente a razão para fazer música nova".
Apesar de estar em uma banda de rock popular, a músico dissa honestamente que ela não ouve muito o rock.
"Eu amo Tegan e Sara ... Eu amo esse tipo de música", explicou. "Eu gosto de qualquer coisa que me faz sentir um grande sentimento ... é por isso que eu gosto."
No que se refere ao Evanescence desde o seu último retorno em 2011 - Lee diz que você só tem que esperar.
"Estamos trabalhando em algo novo que planejamos lançar este ano ... mas não é apenas um novo álbum tradicional, é algo um pouco mais elaborado", disse ela.
"Se você pode imaginar que seja mais elaborado."



Evanescence: É Oficial! Programa Legends and Lyrics Confirma Lançamento de Your Love


A página oficial do programa Legends And Lyrics expediu um comunicado oficial sobre o episódio no qual Amy Lee do Evanescence faz parte com a inédita Your Love, confira a tradução:


Queridos fãs de Legends and Lyrics:
Iniciaremos em breve o lançamento do programa L&L através de vídeos para download dos episódios, que estarão disponíveis para compra. Por causa da grande demanda, substancialmete de fãs, é certeza de que os primeiros vídeos divulgados serão de Amy Lee no episódio da 2ª temporada.Este vídeo só contará com performances executadas por Amy Lee, vocalista e co-fundadora do Evanescence.O VÍDEO VAI INCLUIR 5 (cinco) L&L performances por Amy incluindo: " Bring Me To Life ", " Good Enough", " Call Me When You're Sober ", " Lithium " e a tão esperada " Your Love (Heart)" .Este vídeo vai também incluir entrevistas com a Amy e alguns dos seus comentários no palco.Estamos na fase final de edição e testando nosso site.Esperamos anunciar a data que este vídeo estará disponível para compra, o preço e a localização do site no prazo de 30 dias. Em continuidade, vamos anunciar o lançamento de novos episódios de artistas da 1 ª temporada e 2. ª temporada.Obrigado pela sua paciência e por ser fã do Legends & Lyrics!

É Oficial! Evanescence lançará álbum novo ainda em 2017!


Amy Lee concedeu uma entrevista ao site da revista Rolling Stone e contou sobre sua nova música que estará no filme Voice From The Stone, Speak To Me. E ainda falou sobre o álbum novo da banda. Confira a tradução: 

Amy Lee, do Evanescence, revelou sua nova música "Speak to Me, o tema dos créditos finais do próximo thriller "Voice From the Stone".


"Há muitas razões pelas quais me senti inspirada para trabalhar neste projeto", disse Lee em um comunicado. "Voice from the Stone conta a assombrosa história de Verena, uma enfermeira que é convidada a ajudar um rapaz que ficou em silêncio após o repentino desaparecimento de sua mãe, Verena é trazida para ajudá-lo a falar novamente. Como uma nova mãe, o filme ressoou profundamente comigo. "

O filme é protagonizado por Emilia Clarke, do Game of Thrones, no papel de Verena, com a balada fantasmagórica de Lee capturando o tom da saga sobrenatural.

"Eu tive a oportunidade de trabalhar em estreita colaboração com Eric Howell, que dirigiu o filme, e Michael Wandmacher, que compôs a partitura", continuou Lee. "Fiquei muito comovida com o filme e depois de ter tido a primeira conversa com Eric e Michael, senti uma onda de inspiração e imediatamente comecei a escrever. É um fenômeno raro realmente compartilhar uma visão criativa tão completamente, e isso fez com que se tornasse uma experiência muito poderosa e o resultado final do qual estou muito orgulhosa ".

Howell também dirigiu o vídeo de "Speak To Me", que chegará na próxima semana. "Nós concebemos o vídeo como um paralelo e um backstory para o filme, que explora o forte vínculo de amor entre Malvina e seu filho, e a crença de que o amor é mais forte do que a morte", disse Lee sobre o vídeo filmado na Sicília.

Em abril de 2016, Lee compartilhou imagens dos bastidores das sessões de gravação de "Speak To Me":


Além de "Speak to Me" e seu trabalho solo recente (Love Exists), Lee está de volta ao estúdio com Evanescence trabalhando no novo LP da banda, que será lançado este outono (segundo semestre no Brasil).

Pitty: "Estou me descobrindo como mãe"

Longe dos palcos, a cantora conta como concilia a maternidade e a vida profissional 
(Foto: Eliana Rodrigues)

Mais nova apresentadora do Saia justa, a baiana Pitty já mostrou que pode ser arretada logo na estreia da atual temporada – suas opiniões firmes movimentaram as redes sociais. "Sou honesta nos meus posicionamentos, gosto de contribuir trazendo perspectivas diversas para as discussões e, principalmente, sabendo ouvir", diz a roqueira, que milita pela equidade de gênero.

Ela agora faz parte da trupe liderada por Astrid Fontenelle, que conta com Mônica Martelli e Taís Araújo. "O fato de haver estupros e tanta violência contra a mulher é um indicativo dessa luta. Precisamos avançar mais nessas questões", opina. Ainda amamentando a filha, Madalena, de apenas 6 meses, a cantora não voltou aos palcos. "Estou me estruturando, mas a saudade é tanta que decidi fazer alguns shows especiais com uma logística que combine com a mãe de um bebê pequeno. Ainda estou me descobrindo como mãe, mas acho que sou 'sussa'", afirma.

Belíssima e prestes a fazer 40 anos, Pitty jura que não liga nem um pouco para a idade. "Não me assusta, mas é estranho, porque eu não me sinto com 40." 

Tag : ,

Paramore: Banda é inclusa no novo Rock Band (Realidade Virtual)

O novo Rock Band VR (Virtual Reality) revelou algumas músicas que poderão ser tocadas nessa versão do jogo. O lançamento está previsto para 23 de março e permitirá que o jogador sinta a experiência de tocar a música como se estivesse em um palco de verdade.
Tracklist:
Aerosmith – ‘Walk This Way’
Against The Current – ‘Running With The Wild Things’
Alice In Chains – ‘Man In The Box’
Arctic Horror – ‘Black Seas’
AudioDamn! – ‘Lights Out’
Avenged Sevenfold – ‘Beast And The Harlot’
Basement – ‘Promise Everything’
The Black Keys – ‘Gold On The Ceiling’
Bon Jovi – ‘Livin’ On A Prayer’
DragonForce – ‘Through The Fire And Flames’
Foo Fighters – ‘Everlong’
Ghost – ‘Cirice’
Joan Jett And The Blackhearts – ‘Bad Reputation’
The Killers – ‘When You Were Young’
Megadeth – ‘Hangar 18’
Oasis – ‘Champagne Supernova’
OneRepublic – ‘Counting Stars’
Paramore – ‘Ain’t It Fun’
The Shelters – ‘Rebel Heart’
Spirit Kid – ‘To My Romeo’
Van Halen – ‘Panama’
 

Tag : ,

- Copyright © Deusas do Rock -