Destaques


Outra vez o assunto gótico volta a rondar a Amy Lee!
O site húngaro Quart ealizou uma entrevista com a Amy Lee onde ela de sua evolução,influencias e elementos eletrônicos do novo álbum.Veja



Há cerca de dez anos você é modelo para os jovens do mundo. Quanto você mudou desde então, e como você responde a esta imagem?

Eu acho que eu mudei muito, o que é natural. Em dez anos há um monte de tempo, mas ainda sou a mesma pessoa. Talvez a mudança mais importante é que hoje eu consigo lidar com a fama e tudo o que vem com ela: os fãs e a atenção constante. No começo, era muito difícil manter as pessoas ao meu redor, nunca poderia estar sozinho. Nas "férias" entre o  atual álbum e anterior, eu tentei viver normalmente e estar em casa por um bom tempo. Legal saber que ainda existem fãs esperando por nós após uma pausa de tanto tempo. Sou muito grata a eles por isso. E claro, a relação saudável que vivo com meu marido contribui.

(...)

No começo, houve muita conversa sobre os sintetizadores e os elementos eletrônicos que estariam no disco.

Sim, mas no geral não fomos muito adiante com eles. No começo, realmente conversamos muito, essa chave seria a forma de dirigir [o álbum], mas depois foi diferente. Para ser honesta, o álbum anterior, The Open Door, foi muito mais eletrônico. Esse [o atual] é um verdadeiro disco de rock.

Agora nos EUA tudo está armazenado na música eletrônica. Que tal isso para uma cantora de rock?

Não só a América, mas em todos os lugares. Mentiria se dissesse que não gosto dessa música porque é o que eu gosto. É que muitas pessoas fazem esse tipo de música porque agora é o único caminho mais rápido para a fama, acho que é o gás. Agora parece que há tendências que são excluídos do mainstream, como o rock. Eu não gosto queando eles querem empurrar essas coisas na minha garganta. Só ligar qualquer rádio, apenas esse tipo de música que tocará. Alguém realmente pensa que as pessoas estão ouvindo apenas Rihanna e LMFAO? Isso é uma besteira. (...)

Sou uma grande fã de Tori Amos e Björk, e agora muitas outras cantoras como Bat For Lashes, Lykke Li, Florence & The Machine.

Você gosta deles?

Como cantora, amo tudo o que precede! É claro que eles não representam o mainstream, mas também vivem no mundo underground que pertencemos.

Então, acho que do Evanescence banda underground?

Sim, um pouco. Agora mais do que nunca.

Evanescence banda que, regularmente, é conhecida por ser rock gótico. O que você pensa em relação a isso?

O fato é que somos uma banda de rock, não gótica.

Qual será o próximo passo é para Evanescence?

Com certeza estar em turnê, mas depois eu não sei. É muito difícil escrever música durante a turnê ou planejar com antecedência, pelo menos para mim não funciona. Somente com alguma coisa que possa me concentrar. Tenho que ficar sozinha e preciso me conectar às músicas que eu pudesse pensar.

fonte

- Copyright © Deusas do Rock -