Destaques

O Site  'MusicWeb' entrevistou a Amy Lee onde ela falou sobre sua gravadora e singles,vejo a entrevista em que ela "alfineta" a gravadora.


Três dias atrás, você lançou o single de ”Lost in Paradise”, não é?
Acho que sim. A gravadora está fazendo o que ela quer, por isso é difícil para mim ver o que está acontecendo. (risos) “Lost in Paradise” é uma dos minhas favoritas no álbum, ela foi escolhida para ser single. Sem dúvida vamos fazer um clipe para ela.

No CD Single, você adicionou uma versão ao vivo de “My Immortal”…
Não fiz nada! A gravadora que fez tudo.

Então você ficou fortemente contra a isso?
Sim.

Pelo que você diz, você deve lutar muito com a gravadora, certo?Luto sempre. (risos) Ainda é uma luta, se você realmente ama o que faz. A razão pela qual estou aqui é porque eu amo fazer música, eu amo nossos fãs, eu estou muito feliz que eu possa fazer música que eu gosto. Quando se trata de negócios, é sempre frustrante. É difícil, você não pode se prejudicar pelo fato de falar que isso é uma droga, porque não é verdade. Você só pode olhar no bom sentido e lembre-se do mais importante: os shows, a música e os fãs.



ENTREVISTA COMPLETA ABAIXO:



Como você está?
Me sinto ótima. Obrigada. Na verdade, estou ansiosa para chegar a Praga pela primeira vez.
Como está sendo a turnê na Espanha? Como foi o último show?
Hum… Qual foi o último show mesmo? Houve tantos. (risos) O último foi em Madrid, no Sonisphere, com o Metallica. Foi uma noite muito selvagem, entramos no palco às duas e meia da manhã. Foi incrível como muitas pessoas esperaram para nos ouvir tocar. Nós tocaríamos há uma e meia, mas os técnicos do Metallica precisavam de mais tempo, eles também precisavam de mais tempo e assim por diante. Na hora em que o show do Metallica terminou, eu achei que todos os fãs iriam sair, mas eventualmente muitos deles permaneceram. Acontece que temos fãs muito fiéis, foi um bom show.
Você espera esse tipo de fãs aqui na República Checa?
Eu não sei o que esperar. Mas eu acho que seria ótimo. Os fãs me pediram no Twitter e no Facebook para que fizéssemos um show aqui.
Você vai mudar o setlist? Vai ser mais transversal, ou com músicas novas, especialmente?
Terão músicas velhas e novas, será uma mistura agradável e equilibrada. Um pouco dos dois.
Três dias atrás, você lançou o single de ”Lost in Paradise”, não é?
Acho que sim. A gravadora está fazendo o que ela quer, por isso é difícil para mim ver o que está acontecendo. (risos) “Lost in Paradise” é uma dos minhas favoritas no álbum, ela foi escolhida para ser single. Sem dúvida vamos fazer um clipe para ela.
No CD Single, você adicionou uma versão ao vivo de “My Immortal”…
Não fiz nada! A gravadora que fez tudo.
Então você ficou fortemente contra a isso?
Sim.
Pelo que você diz, você deve lutar muito com a gravadora, certo?
Luto sempre. (risos) Ainda é uma luta, se você realmente ama o que faz. A razão pela qual estou aqui é porque eu amo fazer música, eu amo nossos fãs, eu estou muito feliz que eu possa fazer música que eu gosto. Quando se trata de negócios, é sempre frustrante. É difícil, você não pode se prejudicar pelo fato de falar que isso é uma droga, porque não é verdade. Você só pode olhar no bom sentido e lembre-se do mais importante: os shows, a música e os fãs.
O que você acha do novo álbum? Você está satisfeita com o trabalho que você fez?
Com certeza. Eu acho que é o melhor álbum que nós fizemos. Quero dizer… eu sou um pouco perfeccionista. Tenho orgulho de tudo o que fizemos, mas a última coisa… tirando os vocais - que foram os mais difíceis, eles são mais exigentes e as letras significam muito para mim, porque elas refletem minha vida atual. Passamos quase dois anos preparando esse álbum, que é muito tempo, mas valeu a pena.
Você é perfeccionista quando se está no estúdio?
Geralmente, já temos as músicas prontas antes de irmos para o estúdio, a maioria das letras, a estrutura da música, para que possamos entrar e gravar. Mas quanto você entra em estúdio, é inspirador. Neste álbum, trabalhamos com o produtor Nick Raskulinecz, que nos inspirou tremendamente. Trabalhar com ele foi incrivelmente criativo, chegamos com ideias e um monte de coisa mudou.
Você prefere casas de shows ou festivais?
Se eu tiver que ser realmente honesta, prefiro as casas de shows. Não há vento, chuva, lama, frio, calor, sol… (risos) Não depende de sorte, você tem tudo sob controle. É sempre encantador se perguntar, ‘Então, vamos tocar no Rock Am Ring e Rock Im Park?’. É muita pressão, você não pode tê-lo sob controle, você não consegue lidar com tamanha quantidade de pessoas, mas é absolutamente incrível e estou feliz por termos tido a oportunidade de tocar nesses festivais.
Você tem algo a dizer aos fãs?
Mal posso esperar para finalmente se encontrar com vocês. Na verdade, estou ansiosa, vai ser incrível. Espero que vocês aproveitem o show e espero se encontrar com o maior número de fãs. Obrigada, é uma grande honra para nós tocar para vocês.

TRADUZIDO POR Amy Lee Brasil

- Copyright © Deusas do Rock -