Destaques




Depois de uma apresentação memorável no Rock in Rio, no ano passado, o Evanescence, que não embarcava em uma grande turnê desde o hiato da banda, de 2006 a 2008, voltará ao Brasil para quatro shows. Nos dias 4, 6, 11 e 13 de outubro, em Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Fortaleza, respectivamente, os norte-americanos apresentam o repertório que mistura seus hits mais antigos com as músicas do homônimo terceiro CD. O show no Rio de Janeiro, dia 6 de outubro, terá transmissão ao vivo do Terra, dentro do projeto Live Music Rocks.


Com abertura do grupo The Used, os shows foram incluídos na última parte da turnê mais recente da banda, que fez questão de demonstrar o carinho pelo público brasileiro escolhendo o País para receber o maior número de datas na América Latina. A vocalista Amy Lee explicou melhor a relação do grupo com o Brasil, lembrou de sua paixão momentânea pelo Cansei de Ser Sexy e o nervosismo pré-show no Rock in Rio. Confira a seguir a entrevista feita pelo Portal Terra.
Terra - Nessa turnê atual, vocês farão quatro shows no Brasil e no máximo dois em outros países da América Latina. Por que decidiram dar prioridade ao nosso País?
Amy Lee - Verdade, o Brasil será o País em que mais tocaremos na América Latina. Nós queríamos fazer isso por muito tempo. É difícil, porque existem tantos países pelo mundo e sempre queremos voltar a alguns deles. Dessa vez fizemos uma lista como todos os lugares dos quais sentimos saudade, porque queríamos ir ao maior número possível. Estou muito feliz que muitos acabaram dando certo e, obviamente, queríamos muito voltar ao Brasil. Não consigo pensar em um jeito melhor de terminar esse ciclo de turnês.
Terra - Vocês sentem muita diferença tocando em países latinos depois de se apresentarem nos Estados Unidos ou Europa?
Amy - Com certeza. Na América do Sul, temos os fãs mais ardorosos do mundo, mais apaixonados. Eu sinto isso. Somos uma banda norte-americana e adoramos tocar para o público daqui, claro. Mas existem alguns lugares diferentes onde sentimos que existem pessoas realmente apaixonadas. E o Brasil sempre se destaca, assim como o México e Porto Rico.
Terra - Você costuma se corresponder pela internet com os fãs brasileiros?
Amy - Com certeza. Quando abro o Twitter, tem sempre muita gente falando português e sei que eles são muito empolgados (risos).
Terra - Durante as turnês, vocês conseguem visitar locais turísticos, provar a cultura local, ouvir bandas novas? Lembra de algo especial da última visita ao Brasil?
Amy - Não temos muito tempo, geralmente. Então a coisa mais fácil de fazer é ir jantar. Sempre que temos um tempo livre, eu chamo todo mundo e vamos comer um prato autêntico do lugar. Qualquer coisa que tiverem, vamos provar (risos). É o jeito mais fácil de aproveitar a cultura local. Mas sempre fazemos questão de ouvir as bandas locais também.
Terra - Você se lembra de alguma banda ou música brasileira que tenha chamado mais sua atenção?
Amy - Sempre que estamos em turnê, tentamos ouvir a música local, ver outras bandas tocando. Coisas que normalmente não ouviríamos nos Estados Unidos. Me lembro de ter ouvido, por exemplo, Cansei de Ser Sexy. Eu realmente gosto de coisas que as pessoas não esperam que eu goste (risos). Por um momento, eles eram minha banda favorita (risos).
Terra - Por que você acha que o Evanescence é tão querido por aqui?
Amy - Existe uma coisa muito legal na América do Sul, uma paixão muito forte por bandas de rock pesado. Ao mesmo tempo, também apreciam muito um vocal feminino. Não poderia imaginar uma combinação mais perfeita. Eles não têm medo de chorar, gritar... Isso é o que somos.
Terra - Para finalizar, Amy, o Evanescence, depois de ter alcançado o seu auge em 2006, ficou parado por dois anos e voltou a fazer grandes shows. Esse retorno fortaleceu a banda?
Amy - Eu acho. É engraçado, porque queríamos muito voltar ao Brasil. Quando tocamos no Rock in Rio, foi nosso primeiro grande show em anos. Eu ainda estava um pouco nervosa. Agora que estamos mais confiantes, estamos tocando os melhores shows da nossa carreira. Estou muito orgulhosa e feliz por poder voltar e deixar os fãs verem o quanto mudamos e melhoramos durante esse tempo.

- Copyright © Deusas do Rock -