TOP 10 álbuns que marcaram a vida de Marina La Torraca

Recentemente entrevistamos a Marina La Torraca,e além da entrevista nós fizemos um Top 10 álbuns que marcaram a vida dela.Sempre muito carismática ela escolheu e nos falou um pouco de cada  álbum.

Confira aqui a entrevista feita com a Marina.



 01 - "The Immaculate Collection" - Madonna (Primeiro CD que eu tive)
 02 - "Fallen" - Evanescence (Primeiro álbum de metal com vocais femininos que amei)
 03 - "Fear of the Dark" - Iron Maiden (Primeiro álbum de metal que ouvi)
 04 - "The Number of the Beast" - Iron Maiden (Primeiro álbum do Maiden que comprei)
 05 - "Holy Land"- Angra (Um dos meus favoritos)
 06 - "The Human Equation" - Ayreon (Adoro esse álbum, muita gente boa e muita música boa)
 07 - "Scenes from a Memory" - Dream Theater (um dos meus favoritos, e me lembra uma amiga querida que não está mais entre nós)
 08 - "Three Cheers for Sweet Revange" - My Chemical Romance (Guilty pleasure, haha, MAS eu gosto muito mesmo de MCR. As letras e atitude do Gerard são fantásticas. E queria eu ter escrito aquele refrão de "Helena", mamma mia.)
09 - "The Fame" - Lady Gaga (Me fez rever conceitos sobre a indústria pop)
10 - "Rhapsodies in Black" - Exit Eden (Pq é excepcional poder cantar nesse álbum cheio de músicas pop que sempre amei, mas com arranjos sinfônicos fantásticos)

Deusas do Rock entrevista Marina La Torraca (Phantom Elite / Exit Eden)

Confira mais uma entrevista concedida pela nossa maravilhosa brasileira Marina La Torraca, que com muito orgulho podemos dizer que é um dos nossos maiores tesouros no mundo da musica.
Photo by Jeroen Moerdijk Photography

  
O que podemos esperar nessa nova fase do Phantom Elite?
Muito barulho, com ctz! :) Estamos muito empolgados com o contrato de múltiplos álbuns que assinamos com a Frontiers Records (que também lançou Trillium, Seventh Wonder, etc.). Nosso próximo álbum vai ser lançado esse ano (é a primeira vez que falo isso! haha) e esperamos a partir de agora "engatar" numa jornada muito produtiva e próspera!

 Recentemente soubemos que a Amanda Somerville estava selecionando os covers do próximo álbum do Exit Eden! Tem alguma previsão de lançamento pro novo álbum?
Eu gostaria muito de já ter mais informações concretas sobre os andamentos do Exit Eden, mas por hora temos todos que aguardar ansiosamente por notícias!
Ano que vem teremos a celebração de 20 anos do Avantasia! Alguma chance de você participar dessa tour?
Olha, bem que eu gostaria, haha. Mas acho pouco provável.

Agora aquela famosa perguntinha rs Quando você vem fazer shows no Brasil?
Hahaha, puxa, nunca ouvi essa! Mas brincadeiras a parte: estou tentando fazer acontecer o quanto antes possível! Se alguém estiver lendo e tiver interesse em trazer o Phantom Elite para tocar no Brasil, é só entrar em contato comigo. :D
Você participou de um projeto infantil Magic-O-Metal recentemente com Sander Gommans, como foi essa experiência?
Eu sempre adoro trabalhar com o Sander! Ele é um profissional fantástico e um grande amigo. O Magic-o-Metal foi uma experiência bem tranquila. Ele escreveu toda a música do álbum e eu gravei os vocais para a personagem Lexie e fiz alguns arranjos de corais na faixa título. Com o meu background em teatro musical, adoro qualquer possibilidade de incorporar mais story-telling em tudo.

Atualmente você reside na Alemanha. Você sente falta do Brasil ou pensa em voltar a morar aqui?
Isso mesmo. Claro que sinto saudades de muita coisa. Principalmente da língua, das referências, dos amigos. Fazer piada do Chaves por aqui não funciona (eu vivo tentando explicar o que é Chaves e Chapolim pros gringos aqui, só pra poder continuar dizendo "Não contavam com a minha astúcia!"). Mas honestamente, já estou na Alemanha há 8 anos e tenho minha vida montada por aqui. Voltar a morar no Brasil não está nos meus planos, mas nunca se sabe, né.

Anos atrás você teve uma banda cover do Evanescence aqui no Brasil. Amy Lee foi uma de suas principais influências musicais? E qual sua música favorita do Evanescence?
Tive sim, há muuuitos anos! Hahaha. Eu tive muita influência da Amy Lee sim! Ela foi a primeira mulher no metal que de fato me fez virar fã (não era muito fã dos vocais líricos - pois é, agora canto no Exit Eden, hahaha). Adoro a simplicidade e qualidade do Evanescence, principalmente no "Fallen". Escolher uma música fica difícil, mas acho que ainda fico com "Bring me to Life" por ter sido a primeira faixa que ouvi e a primeira a me deixar boquiaberta.
 
Como você vê o som da banda nesse novo álbum em comparação ao anterior "Wasteland"?
A nova direção musical está bastante moderna, bem mais pesada... e tem até quem diga que está mais "catchy" - apesar do nível de "complicação" instrumental ser o mesmo, hehe. Ainda mantivemos alguns elementos sinfônicos, mas há muitos outros elementos que dificultam a fácil definição em um subgênero específico.

O Phantom Elite é um projeto que chamou muito a atenção aqui no Brasil por dois motivos, primeiramente por você, a primeira voz feminina brasileira a se destacar no cenário do Symphonic  Metal, mas também pela presença do guitarrista Sander Gommans pelo trabalho dele com o After Forever. Temos alguma chance de ver ele em turnês com o Phantom Elite?
Poxa, obrigada. Sou bastante grata por ter a oportunidade de representar o Brasil por essas bandas. Mas respondendo sua pergunta: acho um pouco improvável vê-lo em turnê, haha, mas quem sabe em alguns shows especiais!

 Como está sendo o  processo de criação do novo álbum, e o que podemos esperar dele?
 O processo está sendo... trabalhoso! Haha, mas muito gratificante. Nós estamos trabalhando duro para elevar o nível de cada detalhe para darmos a vocês, público querido, um álbum para ter, amar, ouvir no "repeat", e pentelhar todos seus amigos até que eles virem fãs, hahaha. *plano maligno*
 Sabemos que você é uma grande fã da Disney,gostaria de fazer algum filme ou dar a voz para algum personagem?
Nossa, se gostaria! Seria o highlight da minha carreira, hehe. Acho que agora o Frozen está bem na moda e tem uma música bacana no filme novo, "Into the Unknown". Seria uma boa dar a voz à Elsa e cantar essa música. Amém.

Qual foi a maior mudança em participarem do time Frontiers Records?
Acho que a mudança mais significativa por hora é exatamente o fato de ter um time trabalhando ao nosso lado. Um grupo de peso que acredita na banda e está disposto a ajudar-nos a investir no nosso crescimento.

Pretende lançar algum trabalho em português algum dia?
Com certeza! Fiquem ligados, hehe.

Gostaria de deixar uma mensagem para os seus fãs brasileiros?
Continuem comentando "Come to Brazil"!!! Vida longa à tradição, haha. Um abraço e um beijo, e obrigada pelo apoio maravilhoso. Vcs são f*da!






Entrevista por: John Vasques / Team Deusas do Rock
Edição: Douglas Torres

Visions of Atlantis,banda cancela turnê da America Latina e troca pela turnê na America do Norte

''Sentimos por todos os nossos marinheiros sul-americanos que tinham planejado vir aos nossos shows em março, que tivemos que adiar devido à chance de sermos levados em turnê com a DRAGONFORCE nos EUA.

Não tomamos essa decisão facilmente e esperamos para saber se poderíamos mudar todos os shows antes de aceitar a turnê.

Sentimos muito pelo inconveniente e esperamos que vocês entendam que para que possamos tocar mais vezes na América do Sul, precisamos começar a ser ativos também na América do Norte, onde não temos tido a chance de fazer uma turnê há mais de uma década.

A América do Sul não é um "plano B" para nós, nós amamos os nossos fãs lá, mesmo assim. A vida da nossa carreira depende de quantos territórios podemos fazer turnês e com que frequência. Se você também nos ama, você entenderia igualmente que tivemos que aproveitar essa chance, o que poderia levar a mais turnês através do Atlântico.

Nós o manteremos informado o mais rápido possível sobre as novas datas.

Com amor,
VISIONS OF ATLANTIS''


Russell Allen & Anette Olzon unem forças em novo projeto musical ''ALLEN / OLZON''

O vocalista do SYMPHONY X, Russell Allen, e a cantora Anette Olzon (THE DARK ELEMENT, ex-NIGHTWISH) se uniram sob o nome ALLEN / OLZON.

O projeto foi anunciado em uma pequena prévia da gravadora Frontiers Music, que estará lançando o projeto em 2020. De acordo com a Amazon.de, o lançamento da dupla chamado "Worlds Apart" será exibido em 6 de março de 2020.

Marcela Bovio,cantora é diagnosticada com câncer

Marcela Bovio é uma cantora mexicana e vocalista da banda de metal sinfônico Stream of Passion. Foi uma das fundadoras da banda Elfonía.

Foi chamada por Arjen Lucassen para participar na sua mais recente ópera-rock, o álbum The Human Equation de Ayreon onde fez o papel de "Esposa" (Wife).

Marcela também cantou no bônus do álbum re-gravado de Ayreon, The Final Experiment. Mais tarde, aceitaria o convite de Lucassen para entrar em mais um de seus projetos chamado Stream of Passion e ser a principal vocalista. Neste, gravaram um álbum chamado Embrace the Storm e dois EPs, Out In The Real World, e o ao vivo, Live In The Real World. Ela possui uma classificação vocal de soprano.

''Queridos amigos,
Vocês devem ter notado que tenho estado muito quieta ultimamente nas redes sociais. E alguns de vocês já sabem disso, mas muitos não sabem, então pensei em publicar isso aqui. Estejam avisados, são notícias pesadas ...

Eu tenho câncer no colo do útero e atualmente estou em tratamento para isso. Até agora, foi uma jornada estressante, é muito difícil colocar minha cabeça em volta e aceitá-la; mas está ficando mais fácil a cada dia e acho que é uma parte importante é divulgá-la. Também tenho muita sorte de ter familiares e amigos que me deram um apoio incrível ❤️

Fico feliz em dizer que até agora o tratamento correu bem e não me senti muito mal fisicamente. O prognóstico também é muito positivo, então espero que em alguns meses eu possa me libertar dessa coisa e compartilhar boas notícias com vocês!

Mal posso esperar pelo dia em que poderei subir de novo no palco e cantar para vocês. Enquanto isso, boas vibrações são muito bem vindas❤ ❤

com amor,
Marcela''

Desejamos a nossa maravilhosa Marcela muitos pensamentos positivos e orações. Logo logo estará nos palcos novamente.

Evanescence entra no estúdio início de 2020 para gravar novo álbum!

O Evanescence entrará no estúdio em 2020 para dar início as gravações do seu próximo álbum. Em entrevista, a vocalista Amy Lee falou um pouco sobre suas expectativas para o primeiro trabalho da banda desde o disco "Evanescence", de 2011.

"Nós estamos trabalhando em um novo álbum, o primeiro em muito tempo. Nós temos nos reunido para compor por alguns dias e nós apenas trabalhamos em novas músicas. Então, estou muito feliz", contou a cantora para o site Summa Inferno, um pouco antes do cancelamento de sua participação no Knot Festival, no México, devido a problemas de segurança.

Ainda sobre o disco, ela deu uma ideia de como será a sonoridade. "Eu penso que o som está incrível. Nós vamos para o estúdio no começo do ano para dar início. Nós não vamos fazer tudo de uma só vez: vamos de um jeito, tipo, "vamos indo aos poucos". Então, sim, teremos músicas novas para vocês escutarem em breve".

Em novembro, pelo Reddit, Amy já havia falado sobre o que os fãs poderiam esperar do próximo disco da banda. "É escuro e pesado. Tem também momentos esquisitos e dispersos. Um pouco de tudo. Definitivamente com vibes do álbum "Open Door", mas não a mesma coisa". 

Venuz lança versão feminista de House of the Rising Sun

Lançada no Dia do Músico, a Venuz homenageia todas às mulheres da música com a versão para “House of the Rising Sun”, canção de domínio público. Primeira vez que a banda canta em inglês, a letra fala sobre um local chamado “Rising Sun”, em New Orleans, e já foi cantada pela banda The Animals, Five Finger Death Punch, e até mesmo Bob Dylan! A versão da Venuz traz um olhar feminino sobre a música e foi gravado no pub carioca O Pecado Mora ao Lado, com uma ambientação burlesca, evocando o clima dos anos 30.


A música “House of the Rising Sun” é repleta de histórias. Como uma canção de domínio público, ninguém sabe ao certo o ano de origem, muito menos quem a compôs. O primeiro registro que se tem acesso, era cantado no eu-lírico feminino, e falava sobre mulheres que trabalhariam em Rising Sun. A tal casa do sol nascente (em livre tradução), pode ser um cabaré chefiado por Madame Le Soleil Levant, ou o presídio feminino da cidade, cujos muros tinham a imagem de um sol nascente.


“Nós decidimos, pelo nosso viés feminista, resgatar as origens dessa canção, trazendo novamente o eu-lírico para o feminino, e invertendo o papel do pai e da mãe. Além disso, optamos por retratar a história do cabaré, por também estar associado à música. Pelo mesmo motivo, gravamos o clipe em um pub vintage no coração do underground carioca, no Pecado Mora ao Lado, no Garage (ao lado da Vila Mimosa, área da prostituição no Rio). Percebe-se então muitos links e gatilhos entre clipe, história e letra adaptada.”, detalha Aíla Dap (voz).


Esta é mais uma versão exclusiva da Venuz (que já adaptou o funk “Quero Que Tu Vá”, da Ananda, para o rock). Desta vez em inglês, a música não perde a veia feminista que a banda traz como marca registrada.


“Perceba que no final - e fizemos questão de mostrar isso no clipe - que há um orgulho em pertencer a casa. Antes foi digna de ruína, e hoje é a glória de mulheres que não ligam para a moral e os bons costumes. Não há como uma música representar melhor o lema da Venuz!”, define Aíla Dap.


Uma das bandas de destaque do rock carioca, a Venuz é atitude rock n’roll e feminismo. Com influências do hard rock e de nomes como Hole, Pitty, The Runaways e Rita Lee, o grupo planeja o próximo disco, enquanto continua a divulgar o EP “RebELA”, lançado em 2018. A Venuz é Aila Dap (voz), Juliana Valente (bateria), Carol Vianna (baixo), Valentinne Di Paula (guitarra) e Renata Guterres (guitarra).


A ficha técnica de “House of the Rising Sun” traz Francisco Patrício (gravação, mixagem e master), Bruna Santiago (produção de vídeo). Já o local onde o clipe foi gravado é o pub Pecado Mora ao Lado (Praça da Bandeira/RJ).

Spotify: https://spoti.fi/2Rogjc9
Deezer: https://www.deezer.com/br/track/813544192
Apple Music: https://apple.co/2YkPfvR

Equipamento de palco do Evanescence é incendiado no Knotfest México

Os problemas de segurança no Knotfest Meets Forcefest no México fizeram com que o Evanescence e o Slipknot cancelassem seus shows, o que deixou alguns participantes com raiva ao se voltarem para a destruição para desabafar suas frustrações. Em meio ao caos, o equipamento do Evanescence no palco foi incendiado.

Os cancelamentos foram resultado de uma barricada quebrada, que os organizadores tentaram reparar para que o festival pudesse retomar. Infelizmente, não havia como consertar a barreira danificada a tempo, já que o Slipknot expressou a segurança de ambas as bandas e os fãs eram a "prioridade número um", pois, infelizmente, não conseguiram subir ao palco conforme planejado.

Como visto em um vídeo (visto abaixo), os participantes do festival ultrapassaram a barricada enquanto subiam ao palco, escolhendo o equipamento do Evanescence, que já estava montado. O bateria foi empilhada e incendiada enquanto outros olhavam.  


Apesar da carnificina, o Evanescence reconheceu que isso não era um reflexo de todos os seus fãs no México. "Apesar de estarmos devastados com a destruição de nossos instrumentos e equipamentos, não vemos o fim violento da noite passada como uma representação de nossos fãs mexicanos ou do povo mexicano", disse a banda, continuando, "50.000 pessoas estavam lá e, infelizmente, alguns deles se voltaram para raiva e violência após o cancelamento. Você nos mostrou uma quantidade incrível de amor desde o início, e sempre voltaremos para você. "




Tradução: Deusas do Rock

The Melties une dança, demônio e política em novo clipe

Unindo a estética delirante do filme Cisne Negro (2010), e a influência musical de Black Sabbath e Celtic Frost, a banda The Melties lança o clipe “Satan’s Royal Dance”, disponível no disco de estreia, Hit Me. O sufocamento emocional, a libertação graças à dança, e a ideia do descolamento da realidade, todos estes elementos estão na coreografia de Jana (vocalista) e Gabriel Costa.


O divino e o demoníaco se encontram na dupla, que personifica a dança do imperialismo com as nações pobres. Macci, baixista da The Melties, fala sobre a canção: “Satans Royal Dance é sobre o establishment, sobre uma classe dirigente controlando todo um conjunto de sociedades, para o mal com certeza. E, por muitas vezes, somos levados para um caminho obscuro sem perceber.”.


Mesmo com o cunho político, que segue a The Melties em todas as canções do disco de estreia, a canção traz, em algum nível, a psicodelia. É na melodia que “Satan’s Royal Dance”, se destaca: lenta e sufocante, ela leva o ouvinte para um lugar espantoso, seja pelo interlúdio os vocais, ou pelo refrão hipnotizante.


“Entendemos que essa música tinha uma estética, um movimento, uma vibração mais assombrosa; E isso fez com que rapidamente a gente buscasse inspiração em temas e assuntos mais pesados, que incomodavam. Associamos o ‘Satan’s’ com um peso de polêmica, sem ofender, a fim de gerar curiosidade.... É uma visão mais artística do tema da música.”, explica Macci, baixista da The Melties.


O clipe de Satan’s Royal Dance segue uma tríade de lançamentos da The Melties, que começou já em 2016, com o lançamento do single/clipe “Hit Me”, que nomeia o disco de estreia, lançado no último mês; Em 2018, foi a vez do lyric video feito à mão, “The Blame On Me”, feito inteiramente por Jana, vocalista da banda. O vídeo atual conta com direção e produção da Motiom Produções Visuais, e contou com a maquiagem artística de Gabriel Costa. Já a edição e finalização é de Brombini DoisG/ Quadro B.


A The Melties é formada por Jana (voz), Thizzy (bateria), Jesus (guitarra) e Macci (baixo).
 

Vídeo entrevista + Photoshoot Exclusivo com Ana Paes

Com carisma, doçura, leveza e muito, mas muito conhecimento e luz, trazemos uma entrevista em formato diferente para vocês com Ana Paes que, agora, nos trás um conteúdo inédito e grandes revelações de si mesma:

O que te motivou a fazer um ensaio inspirado na Rainha Esther?



Você se identifica interiormente com a Rainha Esther?



Quando viu as fotos, qual sua sensação?




Espaço reservado para você dizer o que está em seu coração nesse momento:






Matéria e edição:@Sarasthefanyribeiro

Política e esperança em disco da The Melties

Letras politizadas, densas e um som feito para a roda punk. Na busca de criar um material desafiador, surgiu “Hit Me”, disco de estreia da The Melties, de São Paulo. Igualitários até na formação, com duas mulheres e dois homens, eles falam sobre política, religião, anarquia, e também sobre esperança, representado nas batidas do coração de um bebê, na faixa que abre o álbum.

Riffs pesados, fortes linhas vocais e uma energia que explode a cada minuto. Como um Big Bang, as dez faixas do álbum “Hit Me” nascem da vontade de criar algo novo, de sair da zona de conforto. Para a sonoridade, a banda trouxe influência musicais que passam por diversos gêneros do rock, indo do Black Sabbath até o Alice in Chains, sempre com muita personalidade.

Durante a gravação do disco, a baterista engravidou, mas isso não impossibilitou que continuasse a tocar até os 5 meses de gestação. Depois deste período, a banda parou com as apresentações, mas continuou com as gravações do disco de estreia. O tempo fora dos palcos deixou o disco mais iluminado. O tempo para desenvolver as canções, deu liberdade para a criação sem amarras. Tanto é que a primeira faixa do álbum, “Noise One”, começa com o som das batidas do coração do bebê Deni, filho do Macci (baixista) com Thizzy (baterista).

“Queríamos passar um pouco dessa ideia de algo novo, como um início, um Big Bang, representado pelo coração do Deni. O que acabou sendo muito representativo, não só para a parte ‘grávida’ da banda, como para todos integrantes. Somos uma banda unida e todas as experiências pessoais escorrem para dentro da vivência da banda. Por isso, o nome ‘The Melties’”, explica Macci, baixista.
O que consolida a The Melties é, justamente, a indignação pelas injustiças na sociedade. Fruto do fatídico ano de 2013, a banda surgiu como um grito de resistência dos integrantes.

“Esse tipo de indignação, de revolta, de ficar com nó na garganta, passa para as músicas, até pela densidade das mesmas. O nosso primeiro EP, Rot Young (2015), é mais solar, até mais delicado e romântico. Já o álbum novo traz uma experiência nova, e nós amadurecemos. Conseguimos passar para as músicas o que sentíamos, depois desse tempo todo”, relata Macci.

A The Melties é formada por Jana (voz),  Thizzy (bateria), Jesus (guitarra) e Macci (baixo). A ficha técnica do disco traz Danilo Pozzani (gravação, mixagem e masterização), Bruno Wilk (foto de capa), Diego Canhisares (arte do álbum) e Osmar Lucas (foto da contra-capa).


Ouça o disco "Hit Me"

Spotify: https://spoti.fi/2CnpYY1
Deezer: https://www.deezer.com/br/album/117525862
Apple Music: https://apple.co/2Q0Er3T

Eve Desire: Arya conta informações exclusivas sobre o álbum Prelude to Singularity



Arya Medeiro Cappia revelou ao Deusas do Rock informações exclusivas sobre o debut da banda Eve Desire, Prelude to Singularity, confira: 

"A capa do álbum foi feita por Carlos Fides.



Conceito: O conceito é a Simultaneidade das Dimensões. O Tempo, as consequências das nossas escolhas. E se pudéssemos ver a nossa vida sob outras dimensões?
O álbum é conceitual, e conta a história do Homem, que morre e encontra a Morte, que lhe mostrará o que ele fez com o Tempo. Sua relação com o Amor, as consequências e a possibilidade - ou não - de corrigir as más escolhas - de acordo com a interdimensionalidade abordada pelos estudiosos da física quântica.
O encarte vai ter a história ilustrada por cartas de tarot. Baralho de tarot da Eve Desire, onde vamos colocar uns enigmas matemáticos.



E vem clipe por aí. Com história e tudo mais. Em Janeiro de 2020.
Eu sou a Morte na capa. Dentro do portal. Os homenzinhos são versões do Homem."

A banda fará o show de lançamento do álbum dia 16/11 em Criciúma, confira o line up de peso:



Fique por dentro seguindo a banda no Instagram AQUI
Tag : , ,

Brasiliense Mariana Camelo lança clipe “Asas pelo chão” com referências do DF

Foto por: Rafael Novak
A música “Asas pelo chão”, faixa do EP Fragmentos, lançado em dezembro de 2018, eterniza o desejo pessoal da cantora e compositora Mariana Camelo em alçar grandes voos profissionais e parte de referências de sua carreira no Distrito Federal, a capital do Brasil que foi criada a partir dos sonho de Dom Bosco que, ao chegar à região em 1883, viu um local especial que seria “a terra prometida” e que teria “uma riqueza inconcebível”.

Após 77 anos, Brasília seria construída a partir da parceria entre o urbanista Lúcio Costa e o arquiteto Oscar Niemeyer que conceberam o Plano Piloto, um projeto em formato de avião com dois eixos que formam os bairros mais famosos da cidade: a Asa Sul e a Asa Norte, as “Asas pelo chão” dos versos escritos por Camelo. Dinâmico, o clipe produzido pela produtora Bandas de Rock busca mostrar o cotidiano de shows da artista brasiliense e foi gravado também em cidades fora do Eixo como Guará, Taguatinga e Sobradinho.

Além de Asas pelo Chão, o EP Fragmentos possui seis músicas autorais e é um marco na carreira solo da artista, que decolou em 2013, quando encerrou o trabalho de quatro anos ao lado da banda Mariana Camelo & Os Mutais. Ouça a playlist no Spotify ou no Deezer.

 SOBRE A ARTISTA: Mariana começou a cantar aos 14 anos e já tocou em diversas bandas no Distrito Federal. Suas maiores influências vêm do hard rock, pop e blues, com sonoridade moderna e raízes do bom e velho rock n’roll.

 Formada em música pela Universidade de Brasília (UnB), além de cantar na noite e nos principais festivais do quadradinho, a musicista dá aulas em um projeto para crianças, o Mi Fá Sol Lá (Centro de Desenvolvimento Musical para a Infância). Em 2019, Mariana Camelo e banda já tocaram em diversos festivais e grandes eventos do DF, como o Capital Moto Week e o Moto Rock Gama, e foi selecionada para se apresentar no Porão do Rock em 26 de outubro. A cantora também concorre à categoria Artista Intérprete Rock para a 5ª edição do Prêmio Profissionais da Música (PPM – GRV Produções), que será realizado de 1º a 3 de novembro em Brasília.

 Em 2017, a artista foi selecionada pelo Toma Rock Transamérica para o Brasília Capital Moto Week. Em 2015, venceu a 2ª edição do concurso Uma Banda da Cidade, realizado pela Promove Produções, quando foi premiada para tocar no palco do Brasília Bier Fest.

 Em 2013, a cantora lançou o primeiro CD autoral, ainda como Mariana Camelo & Os Mutais, chamado Contradição e outras estórias. Também lançou dois singles: De onde a noite vem (2015), no formato Lyric Video; e Teu Mundo (2017); ambos disponíveis no Youtube.



INFORMAÇÕES: com Camila Bordinha (assessora de imprensa), pelo telefone (61) 99850-5183 ou 98249-6014 (que também funcionam como whatsapp) ou no e-mail camilabordinha@gmail.com.

Assista o novo clipe da Lyria: The Rain


A banda lançou nesse dia 12/09 o seu mais novo vídeo The Rain, veja e compartilhe: 


Lyria - The Rain (Official Music Video)
Album: Immersion | Get it on iTunes: http://bit.ly/lyria_itunes | Spotify: http://bit.ly/lyriaspotify
This song was inspired by an autobiographical poem written by our fan Warren Mayocchi about the Autism Spectrum. You can also find the lyrics of The Rain and Mayocchi's poem in his book "Human: Finding Myself in the Autism Spectrum". 
____________________________________________
Special Thanks:
Casa Santa Ignez
Alan Roque 
Alex Duca 
Alexandre Machu 
Brenda Martins Soto
Brian Northcott 
Daniel Johnstone  
Dirk Wouters  
Éric Brisebois 
Frank Wellwood 
Glen Diefenbach 
Glenn O'Keeffe 
Greg Hanson 
Jean-Marc Boll 
Joe Petrafassi 
John Latsch 
Juarez Quintanilha Aquino 
Keith McGillick 
Max Homsi  
Pedro Soto
Renato Marques 
Roger Jones 
Victor Finger 
Warren Mayocchi 
_________________________________
Song by Lyria
Lyrics by Aline Happ and Patrick Happ
Kid: Laura Naylor
Make up: Aline Happ
Clothing: Aline Happ and Regina Sampaio
Music video by: Vinicius Hozara (CS Music Videos)

Top 10 álbuns da Deusa Luana Caraffa - da Belladonna


The Doors - Strange Days
Quando eu era adolescente, esse álbum conseguiu me levar a um passado não especificado, talvez em lugares da mente que parecem permanecer inalterados ao longo do tempo. Mesmo agora, quando a ouço, sinto que estou lá - mesmo que não saiba exatamente onde.

Pink Floyd - The Dark Side Of The Moon
É simplesmente uma obra-prima. E hoje é ainda mais impressionante pensar em como essas músicas chegaram às pessoas sem a necessidade de confiar na imagem dos músicos. Era uma época em que a música falava e as pessoas podiam se conectar com ela sem precisar de mais nada.

Anthony and the Johnsons - I Am A Bird Now
Quando este álbum foi lançado, pensei que um milagre havia acontecido. Não consigo encontrar um adjetivo melhor do que "sublime" para descrever cada uma de suas músicas.

Marilyn Manson - Mechanical Animals
Um álbum glamouroso e decadente, com letras que o colocam em um cenário distópico, onde a revolução é um grito de plástico e você não tem escapatória.

Suzanne Vega - Solitude Standing
Um cruzamento entre minimalismo e narrativa, onde o cotidiano se torna um teatro sem holofotes ... um tipo de realismo visionário que sabe como levá-lo ao nexo de uma história sem bater na sua cara.

David Bowie - Hunky Dory
É um álbum sobre o qual você pode conversar por horas apenas para descobrir que ainda não conseguiu descrever sua beleza.

Fleetwood Mac - Rumours
As pessoas são divididas em duas categorias: aqueles que pensam que "rumores" são um grande trabalho de beleza estratosférica e aqueles que pensam o contrário. As pessoas da segunda categoria estão 100% erradas!

Bruce Springsteen - Born In the USA
É um álbum fantástico com músicas que podem conversar com cada um de nós e aprimorar nosso melhor lado.

Queen - A Night At The Opera
Costumamos falar sobre a voz e o carisma de Freddie Mercury como se essa força da natureza fosse o elemento-chave do Queen, mas nos concentramos pouco na majestade, na grandiosidade de suas melodias que estão entre as mais belas já concebidas. Este álbum é uma pérola preciosa e um exemplo de como os verdadeiros artistas fazem o que querem, independentemente do que os outros pensam (incluindo empresas de rádio e gravadoras).

Kate Bush - Hounds Of Love
Eu poderia descrevê-lo como a fusão de Art Rock e Pop Progressivo, como muitos fazem, mas para mim é simplesmente uma obra de arte única, a obra de um gênio.



BELLADONNA Facebook: http://www.facebook.com/belladonnaband
BELLADONNA Instagram: http://www.instagram.com/belladonna_band
BELLADONNA Spotify: https://goo.gl/GeKwqX
BELLADONNA on Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Belladonna_(band)

Top 10 álbuns especial por Dani Macchi - da Belladonna


Dead Can Dance - The Serpent's Egg
Tons arcanos e músicas carregadas com uma espiritualidade tórbida que parece ao mesmo tempo sagrada e pecaminosa. Este registro é uma escada para o céu e uma estrada para o inferno.

Joni Mitchell - Shadows and Light
Este álbum me ensinou que grandes composições se tornam sublimes apenas quando as músicas são tocadas por grandes músicos, tocando com convicção, paixão e personalidade forte.

Bob Dylan - Desire
A vibração cigana deste álbum é quase inebriante em sua beleza irregular, misteriosa, romântica, erudita e primitiva. Ele termina com a canção de amor mais profunda de todos os tempos, "Sara", escrita por Dylan para sua então esposa.

Hank Dogs - Bareback
Se houvesse justiça e bom gosto neste mundo, este álbum seria um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos. Canções folclóricas incrivelmente requintadas. Eu toquei esse CD inacreditável tanto nas últimas duas décadas que está arranhado agora.

Kate Bush - The Dreaming
O álbum mais sombrio, enigmático, obscuro e satânico da Queen of Art Rock.

Ennio Morricone - Frantic
Não é a trilha sonora mais conhecida, mas é mais nobre. Consegue evocar uma profunda nostalgia lânguida, uma sensação de desejo quase insuportável.

The Waterboys - This Is The Sea
A música grande que Mike Scott fez com este álbum foi e ainda é uma grande inspiração. Depois desse disco, nunca quisemos cantar sobre o crescente, mas sempre apenas, com orgulho e sem vergonha, sobre toda a lua.

Witchfynde - Give 'Em Hell
Meu álbum favorito do NWOBHM. seu rock sinistro, sombrio, cru e esotérico me seduziu na adolescência e me mostrou que se a música não leva sua imaginação a lugares onde normalmente ela tem muito medo de ir, então não é música.

The Beatles - Revolver
A discografia dos Beatles é a Bíblia de qualquer artista de música que se preze, e este é um de seus capítulos mais lindos.

Led Zeppelin - IV
Sim, existem dois caminhos pelos quais você pode seguir, mas, a longo prazo, apenas o que o leva a um toca-discos tocando uma cópia em vinil deste álbum é o caminho certo.

BELLADONNA Facebook: http://www.facebook.com/belladonnaband
BELLADONNA Instagram: http://www.instagram.com/belladonna_band
BELLADONNA Spotify: https://goo.gl/GeKwqX
BELLADONNA on Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Belladonna_(band)

[ENG] Top 10 álbuns by the Goddess Luana Caraffa - From Belladona


The Doors - Strange Days
When I was a teenager, this album managed to bring me into an unspecified past, perhaps in places of the mind that seem to remain unchanged over time. Even now, when I listen to it, I feel I'm there - even though I don't know exactly where.

Pink Floyd - The Dark Side Of The Moon
It is simply a masterpiece. And today it is even more impressive to think about how these songs reached people without any need to rely on the musicians' image. It was a time when music did the talking and people could connect with it without needing anything else.

Anthony and the Johnsons - I Am A Bird Now
When this album came out I thought a miracle had happened. I can't find a better adjective than "sublime" to describe each of its songs.

Marilyn Manson - Mechanical Animals
A glamorous and decadent album, with lyrics that put you in a dystopian scenario where the revolution is a scream made of plastic and you have no escape.

Suzanne Vega - Solitude Standing
A cross between minimalism and storytelling where the everyday becomes a theater without spotlights... a kind of visionary realism that knows how to get you into the nexus of a story without slamming it in your face.

David Bowie - Hunky Dory
It's an album that you can talk about for hours only to then discover you still haven't been able to describe its beauty.

Fleetwood Mac - Rumours
People are divided into two categories: those who think that "Rumours" is a major work of stratospheric beauty and those that think otherwise. People in the second category are 100% wrong!

Bruce Springsteen - Born In the USA
It's a fantastic album with songs that can talk to each of us and enhance our best side.

Queen - A Night At The Opera
We often talk about the voice and the charisma of Freddie Mercury as if this force of nature was the key element of Queen, but we dwell little on the majesty, on the grandeur of their melodies that are among the most beautiful ever conceived. This album is a precious pearl and an example of how true artists do what they want regardless of what others think (including radio and record companies)

Kate Bush - Hounds Of Love
I could describe it as the fusion of Art Rock and Progressive Pop as many do, but for me it is simply a unique work of Art, the work of a genius.

BELLADONNA Facebook: http://www.facebook.com/belladonnaband
BELLADONNA Instagram: http://www.instagram.com/belladonna_band
BELLADONNA Spotify: https://goo.gl/GeKwqX
BELLADONNA on Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Belladonna_(band)

- Copyright © Deusas do Rock -